Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/5852
Tipo: Dissertação
Título: Rações farelada, peletizada e extrusada na alimentação e produção de vacas leiteiras
Título(s) alternativo(s): Meal, pelleted and extruded concentrates in the fed and milk yield in dairy cows
Autor(es): Wernersbach Filho, Humberto Luiz
Primeiro Orientador: Campos, José Maurício de Souza
metadata.dc.contributor.referee1: Valadares Filho, Sebastião de Campos
metadata.dc.contributor.referee2: Queiroz, Augusto César de
metadata.dc.contributor.referee3: Valadares, Rilene Ferreira Diniz
metadata.dc.contributor.referee4: Lana, Rogério de Paula
Abstract: O presente trabalho foi realizado na Unidade de Ensino, Pesquisa e Extensão em Gado de Leite do Departamento de Zootecnia, na Universidade Federal de Viçosa, objetivando avaliar: o consumo e a digestibilidade aparente dos nutrientes, a produção e composição do leite, o pH e a amônia ruminal, a degradabilidade ruminal da matéria seca e proteína bruta, e concentração de uréia no plasma e excreções urinárias de vacas leiteiras alimentadas com diferentes formas de processamento da ração concentrada. Foram utilizadas 16 vacas da raça holandesa, puras e mestiças, em dois níveis de produção de leite: 30,0 kg/dia e 20,0 kg/dia, que foram distribuídas equitativamente em dois quadrados latinos balanceados para cada nível de produção. O Experimento foi constituído por quatro períodos, com duração de 15 dias cada. As dietas experimentais foram isoprotéicas, constituídas à base de silagem de milho (Zea mays) com relação volumoso: concentrado de 50:50 para o nível de 30,0 kg/dia e 60:40 para o nível de 20,0 kg/dia, com base na matéria seca. Os tratamentos foram constituídos de quatro rações concentradas sendo: ração farelada (RF); ração peletizada (RP) e ração extrusada (RE), com 27% com de proteína bruta (PB) e 84% de nutrientes digestíveis totais (NDT) e ração de alta energia parcialmente processada (RAE), com 27% de PB e 86% de NDT. Os animais foram mantidos em baias individuais do tipo Tie Stall , onde receberam alimentação ad libitun. A excreção de matéria seca fecal foi estimada através da fibra em detergente ácido indigestível (FDAi). O líquido ruminal foi coletado, utilizando-se sonda esofágica. A coleta de urina foi feita através do 4 h após a alimentação. Foi coletado sangue quatro horas após a alimentação matinal, utilizando-se heparina como anticoagulante. A degradabilidade foi estimada através da técnica in situ utilizando-se sacos de náilon incubados no rúmen animal. O consumo de matéria seca (CMS) não diferiu entre os tratamentos RF, RP e RE. A digestibilidade da matéria seca (DMS) não foi afetada pelo processamento, enquanto a digestibilidade da proteína bruta para vacas alimentadas com ração extrusada (RE) (72,36%), foi menor (P<0,05), comparada a ração farelada (RF), no nível de 50 % de concentrado. A digestibilidade da fibra em detergente neutro para vacas alimentadas com RE (44,35%) foi menor (P<0,05) no nível de 50 % de concentrado. A produção de leite foi maior (P<0,05) para os animais consumindo ração extrusada (29,9 kg/dia), no nível de 50 % de concentrado, contudo, o menor nível não apresentou diferença significativa. A composição do leite não diferiu entre os tratamentos, para ambos os níveis de produção. Dentro de cada tempo (antes e três horas após a alimentação matinal), não houve diferenças nos valores de pH. Para as concentrações de N - NH3 ruminal, imediatamente antes da alimentação, as concentrações não diferiram entre si. Contudo, a ração extrusada apresentou menor (P<0,05) concentração de N - NH3 ruminal três horas após a alimentação. A degradabilidade ruminal da proteína bruta e da matéria seca foi numericamente maior para o tratamento peletizado e, principalmente, para o tratamento extrusado. As concentrações de uréia plasmática as excreções urinárias não diferiram entre os tratamentos.
This work was carried out at the dairy cows Teaching, Research and extension unit at the Department of Animal Science of the Federal University of Viçosa with the objective of evaluating: the intake and apparent digestibility of nutrients, milk production and composition, ruminal pH and ammonia, ruminal degradability of dry matter and crude protein, urea concentration in the plasma in cows fed ration processed by different methods. Sixteen dairy holstein cows, purebreds and crossbred, in two milk production levels: 30.0 kg/day and 20.0 kg/day, were distributed equitatively in two latin squares balanced for each production level. The experiment was constituted of four periods with duration of 15 days each. The experimental diets were isoproteic, based on corn silage with forage: concentrate ratio of 50:50 to the level of 30.0 kg/day and 60:40 to the level of 20.0 Kg/day, in dry matter basis. The treatments were constituted of four concentrate rations: meal form (MR), pelleted (PR) and extruded (ER), with 27% and 84% of crude protein (CP) and total digestible nutrients(TDN), respectively and high energy ration with part of extruded elements (HER), with 27% and 86% of crude protein and TDN, respectively. The animals were housed in individual stalls like Tie Stall and fed ad libitum. The excretion of fecal dry matter was estimated by indigestible acid detergent fiber (ADFi). Rumen fluid was collected by esophagian tube. The urine collection was made by spot test . Blood was collected four hours after the morning feeding, being used heparin as anticoagulant. The in situ degradability was estimated with nylon pockets inside the animal rumen. The dry matter (DM) intake was not different among the experimental diets. Digestibility of the DM there was no difference, but the digestibility of the neutral detergent fiber (44,35%) was lower (P<0,05) to ER (extruded) and digestibility of the crude protein was lower (P<0,05) to ER (72,36%), compare to the MR meal). The milk production was larger (P<0,05) for the extruded diet (ER) (29.0 kg/day), in higher level production, however, in lower level there was no difference. The milk composition was not different among the diet to higher level production. Inside each time (before and three hours after the morning feeding) there was no difference in the pH values and amoniacal nitrogen compounds (N-NH3) among the experimental diets. There was no difference in ruminal N-NH3 concentration on time 0, however, at three hours after feeding, ER presented lower (P<0,05) ruminal N-NH3 concentration. The ruminal degradability of crude protein and DM were higher to PR and especiallly in ER. There was no difference in the concentration of plasmatic urea and fractional urine excretions.
Palavras-chave: Extrusão
Peletizada
Desempenho
Extruded meal concentrates
Pelleted
Performance
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL
Idioma: por
País: BR
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Sigla da Instituição: UFV
metadata.dc.publisher.department: Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul
metadata.dc.publisher.program: Mestrado em Zootecnia
Citação: WERNERSBACH FILHO, Humberto Luiz. Meal, pelleted and extruded concentrates in the fed and milk yield in dairy cows. 2003. 56 f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Animais Domésticos; Nutrição e Alimentação Animal; Pastagens e Forragicul) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2003.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://locus.ufv.br/handle/123456789/5852
Data do documento: 9-Mai-2003
Aparece nas coleções:Zootecnia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdf206,32 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.