Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/6398
Tipo: Dissertação
Título: Fatores associados o estado nutricional e velocidade média de crescimento de crianças de uma coorte nos seis primeiros meses de vida
Factors associated with the Nutritional Status and Average Speed of Children Growth of a cohort in the first six months of life
Autor(es): Fonseca, Poliana Cristina de Almeida
Abstract: O crescimento infantil é um processo dinâmico e complexo que sofre influência de fatores biológicos, ambientais, gestacionais, sociais, nutricionais e genéticos. A avaliação e monitoramento do crescimento nos primeiros anos de vida é fundamental na prevenção e identificação de agravos nutricionais na infância. O objetivo desse estudo foi avaliar os fatores associados ao estado nutricional e os determinantes da velocidade de crescimento de crianças acompanhadas nos seis primeiros meses de vida no município de Viçosa (MG). Este estudo faz parte de trabalho maior intitulado “Condições de saúde e nutrição de crianças no primeiro ano de vida do município de Viçosa (MG): um estudo de coorte”. Trata-se de um estudo de coorte com crianças do município de Viçosa, nascidas entre outubro de 2011 e outubro de 2012. As crianças foram avaliadas no primeiro, segundo, quarto e sexto mês, na Policlínica Municipal de Viçosa. Participaram de todas as quatro avaliações agendadas 240 crianças. Foi aplicado um questionário semiestruturado com variáveis sócio-demográficas, gestacionais, maternas e de práticas alimentares da criança. Os dados de nascimento foram obtidos nas Declarações de Nascidos Vivos no hospital. O estado nutricional das crianças foi avaliado de acordo com os índices comprimento/idade e IMC/idade, expressos em escore-z, utilizando-se a referência antropométrica da Organização Mundial da Saúde. Realizou-se a regressão de Poisson com variância robusta para se estimar o risco relativo dos desfechos (déficit de comprimento e excesso de peso) para as variáveis independentes investigadas no estudo, no mês onde esses desfechos tiveram a maior incidência. A velocidade de ganho de peso (gramas/dia) e ganho de comprimento (centímetros/mês) das crianças foi calculada em todas as consultas. Foram comparadas médias da velocidade de crescimento segundo as variáveis investigadas. Para comparação de variáveis paramétricas foram utilizados o teste t de Student ou análise de variância (ANOVA). A comparação de variáveis não- paramétricas foi realizada por meio do teste Mann-Whitney ou Kruskal-Wallis. Foi considerado o nível de significância de 5% para todas as análises. A maior incidência de déficit de comprimento e excesso de peso foi observada no primeiro (9,6%) e sexto mês (8,3%), respectivamente. Na análise múltipla, apresentaram maiores riscos para o déficit de comprimento as crianças do sexo masculino (RR: 2,49; p=0,014) e de mães que referiram ter fumado na gestação (RR: 4,57; p<0,001), e o aumento no comprimento ao nascer foi fator de proteção (RR: 0,55; p<0,001). Os fatores associados ao excesso de peso na análise múltipla foram: o peso ao nascer elevado (RR: 4,63; p=0,003) e o aumento da velocidade de ganho de peso (gramas/dia) até o sexto mês (RR: 1,25; p<0,001). No primeiro mês, a velocidade de ganho de peso (VGP1) das crianças nascidas de parto cesáreo foi menor (p=0,022). A velocidade de ganho de comprimento até os seis meses (VGC6) foi maior entre as crianças que nasceram com peso insuficiente (p=0,035) e menor entre aquelas que nasceram com peso elevado (p=0,006). As crianças que estavam em aleitamento exclusivo ou predominante apresentaram maiores valores de VGP1 (p<0,001). A VGP1 e VGC1 das crianças que consumiam fórmula infantil foi menor (p<0,001 e p=0,006). No segundo mês, a VGP2 e VGC2 foram maiores entre as crianças em aleitamento exclusivo ou predominante (p<0,001 e p=0,015) e menores entre as que consumiam fórmula infantil (p<0,001 e p<0,001) e água (p=0,019 e p=0,033). Os filhos de mães que referiram dificuldade na amamentação apresentaram menor VGP1, VGP2 e VGC2 (p<0,001, p=0,004 e p=0,047). As crianças com quatro meses que consumiam mingau apresentaram menores VGP4 (p=0,014) e VGC4 (p=0,003). No sexto mês o consumo de fórmula infantil se mostrou associado a menores valores de VGP6 (p=0,047). O uso de chupeta esteve associado às menores VGP no primeiro (p=0,023), segundo (<0,001) e quarto (p=0,006) mês. Os resultados apresentados neste estudo reforçam a importância do acompanhamento do crescimento de crianças nos primeiros seis meses de vida, tendo em vista que esse é considerado um período crítico no crescimento infantil e suscetível a desordens nutricionais.
Child growth is a dynamic and complex process that is influenced by biological, environmental, pregnancy, social, nutritional and genetic factors. The evaluation and monitoring of growth in the first years of life is essential in the prevention and identification of nutritional disorders in the childhood. The aim of this study was to evaluate factors associated with nutritional status and determinants of growth velocity of children followed in the first six months of life in Viçosa (MG). This study is part of larger work entitled "Health conditions and nutrition of children in the first year of life in the city of Viçosa (MG): a cohort study." This is a cohort study with children of Viçosa, born between October 2011 and October 2012. The children were evaluated in the first, second, fourth and sixth month, in the Municipal Polyclinic of Viçosa. Participated in all four evaluations scheduled 240 children. A semi-structured questionnaire with socio-demographic, pregnancy, maternal and child feeding practices variables was applied. The birth data were obtained from birth certificates in the hospital. The nutritional status of children was evaluated according to the length/age and BMI/age expressed as z-score, using the anthropometric reference of the World Health Organization. Poisson regression with robust variance was performed to estimate the relative risk of outcomes (length deficit and overweight) for the independent variables investigated in this study, at the month in which these outcomes had the highest incidence. The weight gain (grams / day) and length gain (cm / month) rate of children was calculated at every visit. Average growth rate were compared according to the variables investigated. To compare parametric variables we used the Student t test or analysis of variance (ANOVA). The comparison of non- parametric variables was performed using the Mann-Whitney or Kruskal-Wallis test. Was set at 5% significance level for all analyzes. The highest incidence of deficit length and of excess of weight was observed in the first (9.6%) and sixth months (8.3%), respectively. In multivariate analysis, male children (RR: 2.49; p = 0.014) and mothers who reported having smoked during pregnancy (RR: 4.57; p <0.001) showed higher risks to the deficit length, and the increase in birth length was a protective factor (RR: 0.55; p <0.001). Factors associated with overweight in the multivariate analysis were: high birth weight (RR: 4.63; p = 0.003) and increased weight gain rate (grams / day) up to six months (RR: 1 25, p <0.001). In the first month, the weight gain velocity (VGP1) of children born by cesarean section was lower (p = 0.022). The length gain speed until six months (VGC6) was higher among children who were born underweight (p = 0.035) and lower among those born with high birth weight (p = 0.006). Children who were exclusively or predominantly breastfed had higher VGP1 values (p <0.001). The VGP1 and VGC1 of children who consumed infant formula was lower (p <0.001 and p = 0.006). In the second month, the VGP2 and VGC2 were higher among children who were exclusively or predominantly breastfed (p <0.001 and p = 0.015) and lower among those who consumed infant formula (p <0.001 and p <0.001) and water (p = 0.019 and p = 0.033). The children of mothers who reported difficulties in breastfeeding had lower VGP1, VGP2 and VGC2 (p <0.001, p = 0.004 and p = 0.047). Children aged four months who consumed porridge had lower VGP4 (p = 0.014) and VGC4 (p = 0.003). In the sixth month the consumption of infant formula was associated with lower values of VGP6 (p = 0.047). The pacifier use was associated with lower VGP in the first (p = 0.023), second (<0.001) and fourth (p = 0.006) month. The results of this study reinforce the importance of monitoring the growth of children in the first six months of life, given that this is considered a critical period in children growth and susceptible to nutritional disorders.
Palavras-chave: Lactente - Nutrição
Aleitamento materno
Estado nutricional
Crescimento
Fatores de risco
CNPq: Nutrição
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: FONSECA, Poliana Cristina de Almeida. Fatores associados o estado nutricional e velocidade média de crescimento de crianças de uma coorte nos seis primeiros meses de vida. 2015. 89 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Nutrição) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/6398
Data do documento: 23-Fev-2015
Aparece nas coleções:Ciência da Nutrição

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,29 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.