Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/6755
Tipo: Tese
Título: Jambu (Spilanthes oleracea Linn.) minimamente processado: compostos bioativos e caracterização físico-química, microbiológica e sensorial
Jambu (Spilanthes oleracea Linn.) minimally processed: bioactive compounds and physical-chemical, microbiological and sensorial
Autor(es): Silva, Alessandra Eluan da
Abstract: O jambu (Spilanthes oleracea) é uma hortaliça muito consumida nos pratos típicos da região Norte do Brasil. Entretanto, para o seu consumo existe um preparo que requer tempo e mão de obra, podendo ser reduzido através da utilização do processamento mínimo do jambu, que oferece conveniência e praticidade. Este trabalho teve como objetivo avaliar as condições de processamento, verificando as características físico-químicas, microbiológicas, os compostos bioativos e a sensorial de jambu minimamente processado e armazenado a 5 oC. O experimento foi conduzido com o jambu cultivado em Viçosa - MG, e as análises realizadas em ramos de jambu contendo caule, folha e possíveis inflorescências. Inicialmente este jambu foi caracterizado, avaliando as análises físico-químicas (teor relativo de água, cor instrumental, composição centesimal e perfil de ácidos orgânicos), quantificação dos compostos bioativos (vitamina C, clorofila a, clorofila b, carotenóides, fenóis e flavonóides) e caracterização microbiológica (coliformes totais e E.coli.; contagem padrão de bactérias mesófilas e Salmonella). O processamento mínimo foi realizado avaliando o processo de sanitização utilizando-se água, como controle e os sanitizantes, hipoclorito de sódio e dicloroisocianurato de sódio dihidratada, nas concentrações de 100 e 200 mg/L e peróxido de hidrogênio a 3 e 6%. A eficiência dos sanitizantes foi verificada por meio de análises microbiológicas, sendo o mais eficiente na redução da carga microbiana, utilizado no processamento do jambu armazenado a 5 oC. A cada 3 dias, o jambu foi avaliado quanto ao crescimento microbiano, características físico-químicas e os compostos bioativos. A avaliação sensorial foi realizada por meio de um perfil sensorial descritivo. O jambu apresentou ângulo hue de 178,77 indicando a tonalidade para o verde. A composição centesimal expressa em massa fresca apresentou umidade de 89,6 g/100 g, carboidratos de 5,16 g/100 g, proteína de 1,99 g/100 g e fibras totais de 1,47 g/100 g. O ácido orgânico predominante foi o ácido oxálico presente também em outras hortaliças. Dentre os compostos bioativos, os que tiveram concentrações mais expressivas foram a vitamina C (12,94 mg/100 g), fenóis (151,48 mg EAG/100 g) e os flavonóides (17,71 mg rutina/100 g) de massa fresca. Os resultados microbiológicos estão dentro do preconizado pela legislação vigente. Na avaliação dos sanitizantes, os resultados indicaram que o dicloroisocianurato de sódio dihidratado a 200 mg/L foi o mais eficiente na redução da carga microbiana. No armazenamento refrigerado foi observado que houve aumento do número de bactérias psicrotróficas, chegando ao 12o dia de armazenamento com 3,0 x 105 UFC/g, sendo que as demais análises microbiológicas mantiveram-se estáveis durante o período de armazenamento. O efeito do tempo foi significativo (p<0,05) para a acidez, pH, perda de massa, teor relativo de água, luminosidade da folha e vitamina C. Para as coordenadas da cor instrumental, a* e b*, o croma (c*), o ângulo hue para o caule e folha, o teor de clorofila a e b, carotenóides, fenóis e flavonóides não tiveram influência significativa do tempo (p>0,05). Na avaliação sensorial, uma equipe de 9 julgadores treinados avaliaram o jambu imediatamente após o processamento e após 4, 8 e 12 dias de armazenamento. Dentro dez atributos levantados, a cor, firmeza, gosto ácido, gosto salgado, gosto amargo e dormência não tiveram influência significativa (p>0,05) do tempo de armazenamento, enquanto que para o odor, escurecimento, umidade superficial e aparência global, o efeito do tempo foi significativo (p<0,05). Assim, dentre as condições de estudo, as características microbiológicas, físico-químicas, os compostos bioativos e a sensorial permitiram estimar em 8 dias a vida de prateleira de jambu minimamente processado e refrigerado.
Jambu (Spilanthes oleracea) is a commonly consumed vegetable in typical dishes in northern Brazil. However, for consumption there is a whole preparation that takes time and manpower. Therefore, the minimally processed jambu provides convenience and practicality. This work aimed at evaluating the processing conditions of minimally processed jambu stored at 5 ° by checking C, its microbiological and physico-chemical characteristics, as well as its phytochemicals and sensory evaluation. The experiment was performed using jambu cultivated in Viçosa - MG, and the analyses were carried out using jambu branch containing stem, leaf and possible inflorescence. Initially this jambu was characterized by assessing its physical analysis (relative water content, instrumental color), centesimal composition, organic acids profile, acidity, pH, brix, phytochemical quantification (Vitamin C, chlorophyll a, chlorophyll b, carotenoids, phenols and flavonoids) and microbiological characterization (total coliforms and E.coli.; standard counting of mesophilic bacteria and Salmonella). Then the minimal processing was performed by testing sanitizers such as sodium hypochlorite, sodium dichloroisocyanurate dihydrate at concentrations of 100 and 200 mg/L; hydrogen peroxide at 3 and 6%, and a control using potable water. The effectiveness of sanitizers was verified through microbiological analysis, and the most promising in reducing microbial load was the one used in jambu processing stored at 5 °C. Every three days, the jambu was evaluated for microbiological and physico-chemical analyses as well as its phytochemicals. The sensory evaluation was performed by a descriptive sensory profile. In the results, the jambu presented hue angle of 178.77 indicating hues tending to green. The centesimal composition expressed in fresh matter presented 89.6 g/100 g moisture, 5.16 g/100 g carbohydrates, 1.99 g/100 g protein and 1.47 g/100 g total fiber, values similar to those found in the literature. The predominant organic acid is the oxalic acid which is also present in other vegetables. And among the phytochemicals, the ones with most significant concentrations were vitamin C (12.94 mg/100 g), phenols (151.48 mg EAG/100 g) and flavonoids (17.71 mg rutin/100 g). Microbiological results are within the recommended by law. In the assessment of sanitizers, the results indicated that the sodium dichloroisocyanurate dihydrate 200 mg/L was the most effective in reducing microbial load. In cold storage it was observed that there was an increase of psychotropic bacteria count, reaching 3.0 x 10 5 CFU/g on the 12th day of storage, whereas the other microbiological analyses were stable during the storage period. The effect of time was significant (p<0.05) for acidity, pH, weight loss, relative water content, leaf brightness and vitamin C. For the coordinates of instrumental color, a* and b*, the chroma (c*), hue angle to stem and leaf, chlorophyll a and b content, carotenoids, flavonoids and phenols did not have any significant influence of time (p>0.05). In sensory evaluation, a team of nine trained judges evaluated the jambu immediately after processing and after 4, 8 and 12 days of storage. Within ten attributes raised, color, firmness, sour taste, salty, bitter tastes and had numbness no significant influence of storage time (p>0.05), while for the odor, browning, surface moisture and overall appearance, the effect was significant (p<0.05). Thus, among the study conditions, microbiological, physical-chemical, bioactive compounds and sensory allowed to estimate in 8 days shelf life of minimally processed jambu and refrigerated.
Palavras-chave: Jambu
Compostos bioativos
Testes microbiológicos
Avaliação sensorial
Jambu - Processamento
CNPq: Tecnologia de Alimentos
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: SILVA, Alessandra Eluan da. Jambu (Spilanthes oleracea Linn.) minimamente processado: compostos bioativos e caracterização físico-química, microbiológica e sensorial. 2015. 76 f. Tese (Doutorado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/6755
Data do documento: 11-Jun-2015
Aparece nas coleções:Ciência e Tecnologia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo2,64 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.