Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/7307
Tipo: Tese
Título: Propagação vegetativa de Paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke) e Guapuruvu (Schizolobium parahyba (Vell.) Blake) por miniestaquia
Vegetative propagation of Paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke) and Guapuruvu (Schizolobium parahyba (Vell.) Blake.) by mini-cutting technique
Autor(es): Souza, Cibele Chaves
Abstract: O presente trabalho teve por objetivos avaliar o potencial da propagação vegetativa de paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke) e guapuruvu (Schizolobium parahyba (Vell.) Blake) por meio da técnica de miniestaquia, analisando a produção e sobrevivência das minicepas em minijardim, bem como a influência dos tipos de miniestacas e doses de regulador de crescimento ácido indolbutírico (AIB) no enraizamento adventício. Para a avaliação da sobrevivência e produtividade do minijardim foram utilizadas cinco matrizes de guapuruvu (G1, G2, G3, G4 e G5) e quatro de paricá (P1, P2, P3 e P4) em dez e nove coletas, respectivamente. Avaliaram-se ainda dois tipos de miniestacas (apicais e intermediárias) em dois experimentos para cada uma das espécies, sendo um experimento instalado em arranjo fatorial com cinco doses de AIB (0, 8.000, 20.000, 40.000 e 60.000 mg L -1 ) e outro em uma outra época com quatro doses de AIB (0, 20.000, 40.000 e 60.000 mg L -1 ), ambos em delineamento em blocos ao acaso. Foi possível observar que para a sobrevivência das minicepas conduzidas em minijardim clonal de guapuruvu e paricá não houve diferença entre as matrizes e que as temperaturas baixas no inverno reduziram a sobrevivência das minicepas. Já a produtividade de miniestacas foi maior nas estações de verão e primavera, ocorrendo correlação positiva entre a temperatura e a sobrevivência das minicepas e correlação negativa entre a umidade relativa do ar e a produtividade de miniestacas apicais e intermediárias para as duas espécies. Para o paricá observou-se superioridade de enraizamento para miniestacas intermediárias com a dosagem de 40.000 mg L -1 e a não aplicação de AIB resultou em maior taxa de sobrevivência final das mudas. Já para o guapuruvu o enraizamento foi superior em miniestacas apicais e a maior taxa de enraizamento foi observada para a dose de 20.000 mg L -1 de AIB.
This study aimed to evaluate the potential of vegetative propagation of paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke) and guapuruvu (Schizolobium parahyba (Vell.) Blake) through mini-cutting technique, analyzing the production and survival of mini-stumps in mini-clonal hedge, and the influence of the types of mini-cuttings and regulatory growth doses of IBA on adventitious rooting. For assessment of survival and productivity of mini-clonal hedge five matrices were used guapuruvu (G1, G2, G3, G4 and G5) and four parica (P1, P2, P3 and P4) and nine out of ten and were evaluated collections, respectively. Two types of mini-cuttings (apical and intermediate) in two experiments for each of the species, an experiment installed in a factorial arrangement with five doses of IBA (0, 8.000, 20.000, 40.000 and 60.000 mg L -1 ) and another in another era with four doses of IBA (0, 20.000, 40.000 and 60.000 mg L -1 ) both in design in blocks was observed that for the survival of mini-stumps conducted in mini-clonal hedge of guapuruvu and paricá there was no difference between the headquarters and the low temperatures in winter reduced the survival of mini-stumps. Already mini-cuttings productivity was higher in summer and spring seasons occurring positive correlation between temperature and survival of mini-stumps and negative correlation between relative humidity and productivity of apical and intermediate mini-cuttings for both species. For paricá there was rooting superiority to intermediate mini-cuttings for dose of 40.000 mg L -1 and the non-application of IBA resulted in higher final survival rate of seedlings. As for the guapuruvu rooting was superior in apical mini-cuttings and higher strike rate was observed for the dose of 20.000 mg L -1 IBA.
Palavras-chave: Árvores - Propagação vegetativa
Mudas - Crescimento
Schizolobium amazonicum
Schizolobium parahyba
CNPq: Silvicultura
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: SOUZA, Cibele Chaves. Propagação vegetativa de Paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke) e Guapuruvu (Schizolobium parahyba (Vell.) Blake) por miniestaquia. 2015. 78 f. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2015.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/7307
Data do documento: 29-Set-2015
Aparece nas coleções:Ciência Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo752,65 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.