Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://locus.ufv.br//handle/123456789/7834
Tipo: Dissertação
Título: Percepção e adaptação às mudanças climáticas de agricultores da bacia hidrográfica do Rio das Contas, Bahia
Perception and adaptation to climate changes of farmers of Rio das Contas hydrographic basin, Bahia
Autor(es): Carlos, Sabrina de Matos
Abstract: A agricultura é altamente dependente do clima e, por esse motivo, será fortemente afetada pelas mudanças climáticas globais. No caso brasileiro, pode-se afirmar que os impactos das mudanças do clima sobre a agricultura tendem a ser bastante severos na região Nordeste, já que lá são esperados os maiores aumentos de temperatura e as variações mais severas nos índices de precipitação. Alguns estudos têm destacado que experiências advindas da percepção do clima local podem influenciar não só as crenças acerca do processo, mas também as respostas e atitudes dos indivíduos frente às alterações do clima e os impactos dela decorrentes. Dessa forma, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a percepção climática e respectiva adoção de estratégias adaptativas ao clima pelos produtores rurais da bacia hidrográfica do Rio das Contas, no estado da Bahia. Para analisar essas questões foi realizada coleta de dados entre os agricultores da região por meio de questionários que englobavam informações socioeconômicas dos produtores e de suas propriedades, bem como informações relacionadas à percepção em relação às mudanças do clima e referentes a medidas adaptativas ou de mitigação praticadas nas propriedades. Os modelos de mediação (Mediation Models) foram a principal metodologia utilizada para responder às questões do estudo. Analiticamente, estimaram-se dois cenários distintos. No primeiro, a adoção de práticas adaptativas e a disposição em adotar medidas de mitigação foram estudadas considerando apenas o impacto da percepção climática, do conhecimento e crença na ocorrência das alterações no clima. No segundo, além dessas questões foram consideradas as condições socioeconômicas dos agricultores. Esses modelos permitiram avaliar como a percepção presente das mudanças climáticas, o conhecimento e a crença na ocorrência do fenômeno e as condições socioeconômicas influenciam o comportamento de adaptação e mitigação dos agricultores. Em termos socioeconômicos, a análise dos dados indicou que a maioria dos agricultores da região é do sexo masculino e têm, em média, 50 anos de idade e cerca de dez anos de experiência com atividades agropecuárias. A maior parcela tem a propriedade da terra. O nível educacional desses agricultores é baixo, sendo que a maioria deles possui no máximo Ensino Fundamental incompleto. Com relação às propriedades, observa-se que grande parte tem menos de cinco hectares e, em média, cinco pessoas são dependentes das atividades ali desenvolvidas. Adicionalmente, parcela expressiva dos agricultores tem quase a totalidade de sua renda oriunda das atividades agropecuárias. Outro aspecto importante a ser destacado é o baixo acesso à assistência técnica ou extensão rural para a maioria das propriedades consideradas neste estudo. De forma geral, os agricultores dos municípios selecionados perceberam alterações no clima local e as atribuem às mudanças climáticas. Além disso, as análises indicaram que quanto mais os agricultores percebem alterações climáticas, têm conhecimento a respeito do tema e acreditam que esses eventos terão impacto negativo sobre suas propriedades, mais dispostos eles são a adaptarem-se e a adotar técnicas agrícolas que possibilitem a redução das emissões dos gases de efeito estufa. Os resultados reforçam a necessidade de políticas públicas voltadas para maior divulgação de informações climáticas e sobre os mecanismos das mudanças climáticas na região, aliadas a políticas que ampliem o acesso à assistência técnica ou extensão rural, o que facilitaria a adoção de técnicas adaptativas e, ou, de mitigação. Destaca-se ainda a importância de se considerar, nas etapas iniciais do processo de formulação da política, a percepção, crença e condições socioeconômicas dos indivíduos envolvidos, além das características regionais. Essas são considerações fundamentais para o sucesso e eficiência dos esforços das políticas públicas de combate aos efeitos das mudanças climáticas na agricultura.
Agriculture is highly dependent of the weather and, therefore, will be strongly affected by global climate change. In Brazil, it can be said that the impacts of climate change on agriculture tend to be rather severe in the Northeast, since in this region are expected the greatest temperature increases and more severe variations in rainfall indices. Some studies have pointed out that experiences from the local climate perception can influence not only the beliefs about the process, but also the responses and attitudes of individuals to face climate change and the impacts arising from it. Thus, this work has as objective to evaluate the environmental perception and its adoption of adaptive strategies to the climate of farmers in the hydrographic of the Rio das Contas, in Bahia state. To analyze these issues was conducted data collection among farmers in the region through questionnaires that encompassed socioeconomic information from producers and their properties, as well as information related to the perception in relation to climate changes and related adaptive or mitigation measures implemented in the properties. Mediation models were the main methodology used to answer the study questions. Analytically, it was estimated two different scenarios. In the first, the adoption of adaptive practices and willingness to adopt mitigation measures were studied considering only the impact of climate perception, knowledge and belief in the occurrence of climate change. In the second, besides these issues were considered socio- economic conditions of farmers. These models allowed to evaluate how the present perception of climate change, knowledge and belief in the occurrence of the phenomenon and the socioeconomic conditions influence the farmers’ behavior of adaptation and mitigation. In socioeconomic terms, the analysis of the data indicated that most farmers in the region are male and have on average 50 years old and about ten years of experience with farming activities. The largest share is the ownership of land. The educational level of these farmers is low. Most of them has not completed elementary school. With respect to the properties, it is observed that majority have less than five hectares and in average five people are dependent on the activities developed. Additionally, significant share of the farmers have almost all their income generated by agricultural activities. Another important aspect to note is the low access to technical assistance and rural extension for most properties considered in this study. In general, farmers in the municipalities perceive changes in the local climate and attribute these to climate change. In addition, the analysis indicated that how much more farmers perceive climate change, have knowledge about the theme and believe that these events will have a negative impact on their properties, more willing they are to adapt and adopt agricultural techniques that enable to reduce emissions of greenhouse gases. The results reinforce the need for public policies concerned with wider dissemination of climate information and on the mechanisms of climate change in the region, combined with policies that expand access to technical assistance and rural extension, which would facilitate the adoption of adaptive techniques and or mitigation. It also emphasizes the importance of considering, still in the early stages of policy formulation process, perception, belief and socioeconomic status of the individuals involved, in addition to regional characteristics. These are essential considerations for the success and efficiency of public policy efforts to combat the effects of climate change on agriculture.
Palavras-chave: Agricultura
Percepção geográfica
Mudanças climáticas
Contas, Rio das (BA)
CNPq: Economia dos Recursos Naturais
Editor: Universidade Federal de Viçosa
Citação: CARLOS, Sabrina de Matos. Percepção e adaptação às mudanças climáticas de agricultores da bacia hidrográfica do Rio das Contas, Bahia. 2016. 105f. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2016.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.locus.ufv.br/handle/123456789/7834
Data do documento: 24-Fev-2016
Aparece nas coleções:Economia Aplicada

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
texto completo.pdftexto completo1,75 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.